Selo

Já disse que nunca entendí direito essa história de Selo.
Mas é como dizem: “Tá na chuva é para se molhar!”

Pois bem, ganhei o selo do blog: http://alacarte-domeujeito.blogspot.com/

E vou mandar o selo para:
Triade Nerd -> http://atriade.wordpress.com/
Meu Jeito Barbie de Ser -> http://morewomen.blogspot.com/
Você me Faz Rir -> http://vocemefazrir.blogspot.com/
Filosofos Bebados -> http://filosofosbebados.blogspot.com/

10 Cientistas destruidos pelos seus experimentos

Não costumo publicar coisas de outros sites.
Mas achei bem interessante essa lista. Ela mostra 10 cientistas que se foderam por causa de suas experimentos ou invenções ( e não estou falando do cara que inventou o vibrador ).

Peguei a lista no site: http://hypescience.com/

10. Karl Scheele

Karl Scheele foi um brilhante químico farmacêutico que descobriu muitos elementos químicos com o mais notável deles sento o oxigênio (apesar de Joseph Priestley haver publicado a descoberta antes), molibdênio, tungstênio, manganês e cloro. Ele também criou um processo bastante similar à pasteurização. Karl tinha o hábito de experimentar o sabor de suas descobertas e felizmente conseguiu sobreviver ao teste do sabor do cianeto de hidrogênio, um composto extremamente tóxico. Mas infelizmente a sua ’sorte’ acabou: ele faleceu com sintomas extremamente similares ao envenenamento por mercúrio.


9. Jean-Francois
Jean-Francois foi professor de física e química. Em 1783 ele testemunhou o vôo do primeiro balão do mundo o que criou nele paixão por voar. Depois de colaborar no vôo de uma galinha, de um pato e de uma ovelha, ele fez o primeiro vôo tripulado livre em um balão. Ele viajou a uma altitude de mais de 900m usando um balão de ar quente. Em seguida ele planejou cruzar o Canal Inglês ao ir da França para a Inglaterra. Ao atingir a metade da altura máxima de seu primeiro vôo, o seu balão, que usava uma combinação de ar quente e gás, desinflou, causando sua queda e morte. Sua noiva morreu oito dias depois, possivelmente por suicídio.


8. Sir David Brewster
Sir David foi um inventor, cientista e escritor escocês. O seu campo de interesse era a óptica e a polarização da luz — um campo que exige visão excelente. Ele realizou um experimento químico em 1831 que o deixou quase cego. Apesar de a sua visão haver retornado ele permaneceu com problemas de visão pelo resto da sua vida. David é bastante conhecido por haver inventado o caleidoscópio — um brinquedo usado por milhões de crianças todos os anos.


7. Elizabeth Fleischman Ascheim
Elizabeth Fleischman Ascheim casou-se com seu médico, Dr. Woolf logo que sua mãe faleceu. Por causa de sua posição médica, Woolf era bastante interessado na nova descoberta de Wilhelm Conrad Röntgen: os raios X. Elizabeth ficou igualmente interessada e deixou seu emprego como contadora para estudar a ciência elétrica. Em um momento ela comprou uma máquina de raios X e criou o primeiro laboratório de raios X em São Francisco, EUA. O casal passou alguns anos fazendo experimentos com a máquina, usando a si mesmos como cobaias. Infelizmente eles não perceberam as conseqüências da sua falta de proteção e Elizabeth morreu de uma forma violenta de câncer que havia se espalhado pelo seu corpo.


6. Alexander Bogdanov
Alexander foi um médico, filósofo, economista, escritor de ficção científica e revolucionário russo. Em 1924 começou experimentos com transfusão sanguínea, as quais realizava em si mesmo. Ele declarou que havia parado sua calvície e melhorado a sua visão. Infelizmente a ciência das transfusões era jovem e Alexander não examinava a qualidade ou o doador do sangue que injetava em suas veias. Em 1928 ele recebeu uma transfusão de sangue infectado com malária e tuberculose e morreu pouco tempo depois.


5. Robert Bunsen
Robert Bunsen é conhecido por haver dado seu nome ao Bico de Bunsen, que é utilizado até hoje nos laboratórios. Ele iniciou a sua carreira científica em química orgânica, mas quase morreu duas vezes por envenenamento por arsênico. Logo após quase haver morrido duas vezes ele perdeu a visão em um olho, depois de uma explosão de cacodilo de cianeto. Depois de três excelentes razões para mudar de campo ele passou a trabalhar com química inorgânica e passou a realizar experimentos no campo da espectroscopia.


4. Sir Humphrey Davy
Sir Humphrey Davy, o brilhante engenheiro químico e inventor, teve um início de carreira bastante difícil. Como jovem aprendiz ele foi demitido de seu emprego como farmacêutico por causar muitas explosões. Quando ele finalmente passou para a carreira de químico, adquiriu o hábito de inalar vários gases com os quais lidava. Felizmente o seu mau hábito o levou a descobrir as propriedades anestésicas do óxido nitroso, o gás do riso, usado hoje pelos dentistas. Mas infelizmente este mesmo hábito o levou a quase morrer em muitas ocasiões. Durante este tempo ele causou danos permanentes nos seus olhos por causa de uma explosão de tricloreto de nitrogênio. Os envenenamentos freqüentes o tornaram inválido pelas suas duas últimas décadas de vida


3. Michael Faraday
Graças aos ferimentos nos olhos de Sir Humphrey Davy, Faraday tornou-se seu aprendiz. Ele melhorou os métodos de eletrólise de Davy e fez importantes descobertas no campo do eletro-magnetismo. Infelizmente ele seguiu alguns passos infelizes de seu tutor e Faraday também teve problemas de visão devido a uma explosão de cloreto de nitrogênio. Ele passou o restante de sua vida sofrendo de envenenamento químico crônico.


2. Marie Curie
Em 1898, Marie Curie e seu marido Pierre descobriram o elemento químico rádio. Ela passou o restante de sua vida realizando pesquisas sobre radiação e estudando terapia com radiação. Sua exposição constante à radiação fez com que ela desenvolvesse leucemia e levou a sua morte em 1934. Marie foi a primeira pessoa conhecida a receber dois prêmios Nobel em dois campos diferentes: química e física. Ela também foi a primeira professora mulher da Universidade de Paris.


1. Galileu Galilei
O trabalho de Galileu no refinamento do telescópio abriu locais remotos do Universo para as gerações futuras, mas também acabou com a sua visão. Ele era fascinado pelo Sol e passou muitas horas observando-o — o que o levou a danos extremos nas suas retinas. Esta foi a causa mais provável de sua quase cegueira com a qual viveu os últimos quatro anos de sua vida. Por causa de suas descobertas alguns se referem a ele como o “pai da física moderna”.

A vingança de Yuri – Parte 4

Atenção: Esse texto é uma história.
Se não leu o começo da história, leia clicando aqui
Se que ver a lista de todas as partes já publicadas, clique aqui


É claro que Yuri não conseguia dormir. Ficou pensando no que acabara de acontecer.
– Como ele sabia que eu não joguei a água no rio? Será que ele ficou me observando? – Pensava o garoto
– Impossível! Se eu iria perceber se ele estivesse por perto.
– Mas ele deve conseguir seguir as pessoas sem que elas possam perceber…

E assim ficou Yuri pensando quase durante a noite toda.

Passadas algumas horas, o Sol começava a surgir e lançava seus raios sobre o jovem que ainda estava dormindo.

– Acorda! – Gritou Kai

O garoto tenta acordar, mas parece que os olhos estão pesados, difíceis de abrir.
Depois de muito esforço consegue abrir os olhos, mas sua visão ainda está embaçada.

– Vamos! Levanta logo seu molenga! Você tem que treinar! – Resmungou Kai

A criança levanta ainda com sono e segue o seu mestre.

– Afinal quantos anos você tem?
– Tenho 15 anos.
– 15? Ha Ha ha! Você parece mais com uma criança de 12 anos! Temos muito que trabalhar.
– Sim, senhor.
– Como você é um iniciante, nos primeiros dias faremos diversas pausas durante o treinamento. E com o passar dos dias diminuiremos esses tempos de pausa.
– Certo – Disse Yuri

– A príncipio um guerreiro precisa ter um bom preparo físico. Para isso é preciso estar em equilíbrio a força, a agilidade e a resistência. Muitas pessoas treinam apenas a força, isso é um erro. Uma pessoa forte pode derrotar seu oponente em poucos golpes, mas, por possuir pouca agilidade, em muitos casos o inimigo pode desviar de todos seus golpes e ainda assim ganhar a luta. Preparei alguns exercícios para ver onde teremos que trabalhar primeiro. Está vendo aquela árvore?

– Sim
– Agora quero que corra até lá o mais rápido que puder.
– Agora?
– Claro! Não foi ainda por quê?

Então ele correu o mais rápido que pode. Seus primeiros 20 passos foram bem rápidos, mas logo ele começou a se cansar e ia cada vez mais lento.
Faltava um quarto do caminho ainda, puxava o ar desesperadamente, mas parecia que não havia ar suficiente.
Agora cada passo era uma luta para as pernas obedecer, depois de muita briga com as próprias pernas, consegui chegar até a árvore.

Assim que chegou, Yuri sentou e ficou lá ofegante por alguns minutos. Enquanto descansava, o mestre se aproximava.

– Muito bem! Muito bem! – disse Kai sarcasticamente enquanto batia palmas – Ví que consegue correr rápido, mas sua resistência é tão pouca que nem conseguiria fugir de uma luta. Descanse um pouco, começaremos a trabalhar sua resistência.

Depois de um tempo, Kai levantou e disse:
– Acho que já descansou. Agora vamos, me acompanhe. Vamos andar um pouco.

O garoto levantou e começou a andar ao lado do mestre.

– Você não está respirando o suficiente! Respire mais profundamente – disse o mestre – Mantenha o passo! Não diminua o andamento!

Depois de andarem alguns minutos o mestre parou e disse:
– Muito bem! Agora continue andando e vá até a árvore assim que chegar lá volte até aqui!

– Você não vai me acompanhar?
– Estou te treinando. E treinadores não fazem exercícios. Não sou eu que quero salvar o mundo.

Então Yuri continuou andando, estava um pouco cansado mas dava para suportar.

– Respire mais e não diminua o ritmo! – Gritou Kai

Assim que o jovem retornou, o mestre disse:
– Vamos comer algo agora. Você deve estar faminto.
– Sim estou!
– Logo alí tem uma maçãs, vamos até lá.

Assim que chegaram o jovem já saiu atacando as maçãs, parecia que comia uma maçã por mordida de tanta fome que sentia.
Enquanto isso o mestre olhava calmamente as frutas para ver qual parecia mais saborosa.

– Por que escolhe tanto a maçã? Não está com fome? – Perguntou Yuri com a boca cheia de pedaços de maçãss
– Não! Não estou com fome.
– Não acredito, ficamos tanto tempo sem comer…
– É que eu comí antes de te acordar, meu jovem dorminhoco.

– O quê? Você comeu e nem me chamou? – disse o Jovem com os olhos arregalados e com uma raiva terrível.
– Pois é! Quem acorda cedo tem mais recompensas. Sem esforços não há recompensas.

Agora coma e descanse que temos mais treinamentos por hoje.

Afinador e Metrônomo

Como muitos sabem estudo música.
Então queria falar algo sobre afinadores e metrônomos para que muita gente não gaste dinheiro à toa, e passe pelo o que eu passei.

Falarei de alguns afinadores e metronomos, se quiser buscar preço deles, basta clicar na imagem de cada um.

Existem diversos afinadores, metronomos e aparelhos que fazem as duas coisas. Mas alguns deles são bem ruins.
Alguns são tão ruins que mesmo indicando no produto que é “afinador” para contrabaixo, o metronomo pode ficar “perdido” ao tentar ler as notas do instrumento.

Um desses afinadores ruins é o:

Groovin GMT 200


Para começar, esse aparelho não é exatamente fabricado por uma empresa. Ele é “montado”.
O que acontece é que uma empresa recebe as peças, e simplesmente monta ( é mais ou menos como os mp3 players baratos ). Com isso você encontra o mesmo aparelho, só que com outra cor e outra coisa escrita.
Esse aparelho também é vendido pela “shelter”. Por isso se decidir comprar o produto, veja se encontra um metronomo mais barato e que seja “igual”, porque será o mesmo metronomo/afinador

A desvantagem dele é que muitas vezes ele não reconhece diversas notas graves. Se você toca contrabaixo, é melhor ficar bem longe desse metronomo, ou pode passar raiva.
Instrumentos mais agudos, como o violino ele reconhece as notas com menos problemas.

Vantagem: É barato. Dá para encontrar por 30 Reais em algumas lojinhas por aí. Se você precisa de um metronomo até que é uma boa idéia. Muitos ainda vem com um captador, se você usa instrumento acústico será legal, mesmo que o metronomo não funcione direito geralmente dá pra usar o captador em outros afinadores melhores.

Observação: Tenho um desses, quando fui usar o afinador tive vontade de jogar pela janela ( já que fui afinar um contrabaixo ). Felizmente ele é um bom metronomo 😀



Korg CA-30


O afinador CA30 da Korg é simplesmente o afinador para quase todos os tipos de instrumentos.
Seja de sopro, corda, etc. Em geral ele capta muito bem. O afinador é cromático ( você toca qualquer nota e ele mostra que nota é e se a nota está baixa ou alta ).

A desvantagem é que é um pouco caro ( se procurar bem dá pra achar por uns R$75, mas dificil achar por esse preço ) e não vem com metronomo.
Esse afinador não é recomendado para instrumentos que possuam notas extremamente graves, como o caso do tímpano e do piano.
Afina muito bem um contrabaixo.



Korg CA 40 WD


O afinador CA40WD é muito mais sensível que o CA30.
Se você precisa afinar um tímpano ou um piano esse é o afinador para você.

Desvantagem: Meio caro e não tem metronomo.

A arte de Comer Insetos ( Entomofagia )

A primeira coisa que agente sente é repugnância, ao ouvir alguém falar de comer insetos.
Isso é mais uma questão meramente cultural do que “lógica”*.

Antes de sair falando que é nojento ou qualquer outra coisa do gênero, pare e pense se comer galinha não é nojento, ou até mesmo comer carne de vaca.
Se você parar e pensar, sim é nojento ( quem já viu abate de animais saberá o quanto é nojento, em especial tirar suas vísceras ).
O que quero dizer é que se agente não comesse esses tipos de animais, devido a nossa cultura, acharíamos nojento.

Mas então como saber se algo é comestível ou não?
Nós comemos carne de vaca… mas quando eu era criança, um belo dia ( leia isso como uma ironia ) me deram um pedaço de fígado para comer.

Antes mesmo daquele negócio repugnante estar no meu prato meu nariz já mandava sinais de para meu cérebro dizendo:
“Puta que pariu cara! Essa porcaria não é comestível, não pode ser comestível o cheiro é horrivel”.

Depois dessa mensagem de alerta é claro que eu tinha que recusar. Disse:
“Mãe, acho melhor não comer isso, não parece ser bom!”

É aí que nós pobres crianças nos fodemos. A mãe fala:
“Como você sabe que não é bom? Tem que experimentar!”

E por mais que seu cérebro diga que o lógico é não comer aquela porcaria, você não tem opção. E COME.
Então foi o que eu fiz, comi aquela porcaria. E eu devo ter passado o dia todo vomitando, não suporto fígado, é uma coisa horrível.

Ok, Ok, o título é sobre entomofagia e não sobre nossos traumas de infância.
Mas escreví isso para mostrar que não consumimos insetos por questões culturais e não lógicas*

No meu caso eu não iria consumir fígado por uma questão lógica, meu cérebro me informou antes de tudo que aquilo não era comestível.

Para ter idéia, quando vejo uma formiga meu cérebro não diz nada como “PERIGO! Esse negócio não é comestível”
Aliás, por isso já comi formigas.
Não são interessantes, são sem gosto. Provavelmente porque comí sem tempero. heheh

Uma coisa que acho ruim ao falarem da entomofagia é que sempre que ela é citada, ela também é descrita como uma atividade executada por países pobres e como uma forma de sobreviver devido a falta de comida.

Essa conversa é balela, diversos países praticam entomofagia pelo fato de apreciarem a comida dessa forma e nesse grupo está, também, os Estados Unidos.
Aliás diversos livros sobre a prática de comer insetos ( que indica exatamente que inseto é comestível e inclue receitas ) são publicados nos EUA.

Por que comer insetos?
A maioria é nutritiva e “barata”.

O maior problema de se comer insetos, é que muitos podem trazes malefícios, lembre-se que vivemos numa cidade, e é comum as pessoas lançarem inseticidas por todo canto.
Por isso se você for comer uma formiga do chão, provavelmente estará ingerindo algum inseticida junto.

Como a prática de comer insetos não é comum no Brasil, dificilmente você achará algum lugar certo para comprar insetos.
Por isso, contraditoriamente, aqui, no Brasil, comer insetos, pode ser bem caro.

Lembre-se, que da mesma forma que você não compra uma galinha em qualquer lugar ( porque possivelmente ela possa ter trazer uma doença ) você não deve comer um inseto de qualquer lugar.

Uma das coisas que ainda pretendo fazer em vida é visitar algum país onde eu possa degustar alguns insetos.
Gostatira de comer: formigas, alguns tipos de larvas e talvez um escorpião.
Aliá sempre tive receio de comer escorpiões por causa do veneno, mas o povo garante que depois de frito não há mau. Mas vá se saber.

Jeannie é um Gênio

Na ultima postagem escreví sobre o Snoopy, vou continuar com a seção nostalgia.

O seriado Jeannie é um Gênio era muito bom. Com humor simples ( em partes sem graça ) que não precisava se rebaixar com conteúdo sexual ou palavriado chulo para agradar o público.

Aliás o único conteúdo sexual do seriado era a roupa da Jennie. Afinal eu sempre tive vontade de comê-la

Jeannie é mais ou menos o Dennis pimentinha das gênias, ou seria o chaves das gênias. Afinal, ela sempre que ajudar, mas acaba fazendo besteira. Como diria o Chaves “Foi sem querer querendo”

O Capitão ( ou seria Major? ) Nelson é o “senhor” ( esquecí o termo certo ) da Jeannie. E ela tem que fazer tudo o que ele mandar, bem isso na teoria, porque em quase todos os episódios a Jeannie não obedece e acaba fazendo o que bem entende, principalmente quando o Nelson vai se encontrar com outra mulher.

Eu simplesmente adorava esse seriado.

Se você também gosta desse seriado e quer comprar o DVD, basta clicar nas imagens abaixo para encontrar os melhores preços.





A vingança de Yuri – Parte 3

Atenção: Esse texto é uma história.
Se não leu o começo da história, leia clicando aqui
Se que ver a lista de todas as partes já publicadas, clique aqui


O jovem avista a cabana de Kai e começa a ir em direção a ela.
Cada passo que ele dava mais nervoso ficava.
– Será que Kai me aceitará – pensava o menino – Será que poderei ser forte para me tornar um Guardião?

– O que faz aqui? – Veio uma voz forte logo atrás de Yuri.
Yuri se vira e vê que é o senhor Kai, a única coisa que podia fazer era implorar para ser treinado pelo mestre.

O jovem de cabelos escuros e olhos negros, pequeno e com pernas finas olha para o mestre a sua frente, um homem já com cabelos brancos e apesar da idade aparentava ser bem forte.
Talvez não forte fisicamente, mas uma força interna que poderia fazer seus músculos suportar mais do que aparentava.

Então Yuri respirou e disse:
– Sou Yuri, um jovem de Frenchsphan e preciso me tornar um Guardião…
– O grupo Guardião já foi destruído e não há nada que um garoto tolo e frágil como você possa fazer contra os soldados de Sterphan. Por isso saia da minha frente – disse Kai
– Posso ser fraco, pode ser que eu morra no primeiro confronto… mesmo assim não posso ficar sem tentar – disse Yuri olhando friamente para Kai

– Admiro sua coragem. É mais corajoso que muitos homens que já formaram o grupo Guardião e se acha que vale a pena morrer, então posso te treinar… Mas antes de treinar, terá que fazer algo para mostrar seu valor e testar sua força. Se conseguir fazer o que eu te pedir, te treinarei e então você será testado a todo o momento. – Disse Kai com uma voz sarcástica

– Farei o que for necessário – Disse Yuri

– Muito bem, se você seguir por essa trilha chegará a um rio. Perto desse rio há uma árvore muito grande, bem maior que as outras, e ao lado dessa árvore existem dois baldes. Pegue os baldes e encha com água pela metade, e traga até aqui. Acredito que isso será o suficiente para testar a força de um garoto delicado como você – Disse mestre Kai.
– Mas já está noite…
– Se você veio de Frenchsphan até aqui para me dar uma desculpa para não executar a tarefa, era melhor nem ter vindo. Um guardião deve estar sempre pronto para cumprir suas tarefas!
– Eu irei.

Então Yuri partiu em direção ao rio. A cada passo que dava ele xingava em pensamento o mestre.
– Que droga, aquele maldito… Por que tinha que me dar uma tarefa numa hora dessas? Já é noite! Estou cansado de andar! – pensou Yuri.

Assim que chegou na árvore Yuri procurou pelos baldes.
– Por que aquele velho deixa dois baldes aqui?

Pegou os baldes e os encheu pela metade, como havia mandado o mestre.
No início parecia tarefa fácil, mas depois de andar metade do caminho, os baldes pareciam cada vez mais pesados.
– Eu vou conseguir. Tenho que conseguir.

E assim seguiu o jovem, fazendo o máximo para não desistir.

Assim que chegou, o mestre disse:
– Deixe-me ver os baldes. Estão ainda cheios pela metade?
– Sim, estão – disse Yuri pouco ofegante.

– Parace que o esforço foi um pouco grande para você… Agora que trouxe a água, volte até o rio e jogue a água novamente nele.
– O que? Você não vai usar a água? Se não vai usar por que não jogar aqui mesmo? – Disse Yuri
– Usamos a água para ver se você é forte e resistente. Agora que usamos, devemos colocá-la de volta ao seu lugar. Agora vá e não me incomode mais! – Disse o mestre meio irritado.

E então o jovem foi, de cabeça baixa. E pensando onde se meteu.
Como não podia mais suportar o peso dos baldes, decidiu jogar a água alí mesmo e deixar os baldes onde deveria.
Afinal, não teria como o mestre saber o que a água não fora jogada no rio.

Após jogar a água fora, o peso dos baldes se foram e Yuri pode andar mais rápido e voltar para a cabana.

Assim que chegou a cabana, o mestre veio em sua direção com um ar furioso.
– Por que não jogou a água no rio como eu pedí? – Disse Kai aos berros
– Me pareceu inútil carregar a água até o rio, se eu poderia jogá-la em qualquer lugar – Disse Yuri meio envergonhado

– Inútil? A água possui ao rio e com o rio deve ficar. Se pretende ser um Guardião deve aprender que não se deve desperdiçar as coisas da natureza. E que qualquer ordem, por mais tola que pareça, deve ser obedecida. Numa batalha não há tempo de explicar as coisas, por isso se uma tarefa é pedida, deve ser executada.

– Mas eu não podia suportar mais o peso dos baldes…

– Você é um fraco! Escolheu o caminho mais simples, pedí apenas que levasse a água de volta, não importava o tempo que levasse, poderia ter feito pausas, respirado e depois seguido em frente. Mas preferiu apenas jogar a água fora… Eu avisei que seria testado o tempo todo e você não passou nesse teste. Agora durma, que amanhã terá mais treinamento duro.

– Posso dormir na sua cabana? – Disse a criança já triste.

– Nem pense nisso. Se quer um lugar confortável para dormir, faça sua própria cabana. Isso é um treinamento duro e não um acampamento de crianças.

Então o mestre entrou na cabana e a criança ficou lá fora para dormir coberto pelas estrelas.